Persuasão: como utilizar nas apresentações

A persuasão é muito importante em diversos momentos da nossa vida, principalmente quando lidamos com estratégias, comunicação e audiência.

Analisemos aqui, a persuasão como elemento-chave na comunicação quando almejamos determinados objetivos.


A falta de persuasão nas apresentações

Imagine por exemplo, se necessitarmos vender uma mensagem, ideologia ou projeto a um público específico, onde entra a persuasão e como utilizá-la adequadamente?

Na verdade, a persuasão tem forte ligação com as apresentações corporativas e aqui falaremos sobre a tríade mais importante do processo.

Partamos da premissa de que toda apresentação tem um objetivo específico, ou pelo menos, deveria ter.

Conquistar e persuadir a audiência, levá-la a tomar alguma decisão, pode ser um desses objetivos.

Provavelmente você já se deparou com diversas apresentações enfadonhas, por diversos motivos, entre eles, destacam-se a falta de ênfase e persuasão.

 

Erros que não combinam com persuasão

Em se tratando de persuasão, é comum apresentadores arrogantes se esquecerem que são coadjuvantes na apresentação e o objetivo o grande protagonista.

O excesso de informações, redundância ou mesmo o mal uso da criatividade também são grandes vilões na conquista da sua audiência.

Ou até mesmo, aquele apresentador que se esquece das necessidades da sua audiência e transforma o evento num monólogo.

São diversos casos corriqueiros em que a apresentação falha porque não persuade. Quando não há persuasão, geralmente a apresentação não tem um significado.

Os fatos falam por si mesmos, uma apresentação profissional requer estudo, planejamento e treinamento. Fazer o contrário significa insucesso.

Mas afinal, como encontrar o equilíbrio numa apresentação?

 

“Anuncios são fundamentalmente persuasão, e persuasão não é uma ciência, sim uma arte.”
– William Bernbach, Publicitário

 

Para Aristóteles, a persuasão se dá pela retórica, com base em três fatores argumentativos:

 

Ethos

Ajuda a construir sua autoridade com base na sua credibilidade e honestidade.

Situado entre o apelo emocional e o racional, é também responsável pela conexão da audiência com o apresentador, tornando-o mais crível e persuasivo.

Tal conexão faz com que o público aceite com mais facilidade seus pontos de vistas e se sinta atraído por suas argumentações.

Logos

Dados e estrutura de apresentação são essenciais nessa etapa, reforçando a escolha dos argumentos e respostas para possíveis questionamentos.

Entra em cena a lógica, com base na estrutura de sua apresentação e clareza do discurso como elementos que possibilitarão alcançar determinado objetivo.

Pathos

Desafiar seu público pelas emoções ou através de sua imaginação, com foco no objetivo da sua apresentação.

Que tal comover seu público, seja através da emoção ou pelo uso adequado de metáforas?

O apelo emocional é responsável pela estimulação da sua audiência por sensações específicas como prazer, dor ou paixão.

Essas emoções confrontam o apelo racional e a tomada de decisões se torna mais fácil.

 


Se você quer colocar tudo isso em prática, conte conosco.

Nós somos especialistas no desenvolvimento de apresentações para diferentes públicos com design de alto nível, focado em seus objetivos.